Atualize seu navegador!
A Criação da AMAE em Campanha em 1968

Na década de 1960 a exemplo da família de Beatrice Bemis fundadora a APAE do Rio de Janeiro, os pais de uma menina portadora de síndrome de dowm, chamada Leda Ferreira Lopes Ramos, nascida na cidade da Campanha, sul de Minas Gerais, sentindo a necessidade de tratamento especializado para que sua filha desenvolvesse, fisicamente e mentalmente, procurou a APAE de São Lourenço, a primeira APAE de Minas Gerais, que à época servia de referencia em todo sul de minas, onde Geraldo da Silva Ramos e Celina Ferreira Lopes Ramos, encontraram respaldo e apoio com Bernadete Pinto Freitas dirigente da APAE de São Lourenço, que os orientou durante certo período.

            Com as orientações recebidas Geraldo da Silva Ramos e sua esposa, equiparam sua residência para desenvolverem as atividades necessárias ao tratamento de sua filha, sabendo do sucesso do tratamento da pequena menina, o Celso Augusto Fonseca, que também necessitava de tratamento especializado para sua filha, procurou o casal Geraldo e Celina, e propôs que transferissem os equipamentos para um local maior onde as duas meninas pudessem receber tratamento, e ainda poderiam colocar este tratamento à disposição de outras crianças do Município da Campanha, que estavam impossibilitados de atendimento especializado.

            Com a união das duas famílias, os equipamentos foram transferidos para um casarão de propriedade de Celso Augusto Fonseca, localizado a Rua Dr. Brandão, em frente ao Posto de Saúde Municipal (hoje já demolido), e em 1968 já eram sete crianças portadoras de necessidades especiais assistidas, e com total êxito no tratamento e a demanda aumentando, moradores de cidades circunvizinhas procuravam a “casa” para tratamento de seus filhos.                   

 Com toda esta demanda, foi necessário ampliar as atividades realizadas pela “casa”, e propiciar o atendimento a um número maior de crianças portadoras de necessidades especiais, que os procuravam. Então José Augusto de Mello Lopes, que colaborava com a “casa”, procurou Dr. Vivaldi Jose de Mello, advogado no Município da Campanha, para que ele tratasse da parte burocrática para a criação de uma entidade legalmente constituída.

            Foi então que em 01 de setembro de 1968, foi criada a AMAE – Associação Mineira de Assistência aos Excepcionais da Campanha, conforme Ata de fundação no Livro de nº. 01 as paginas 01, onde consta a presença do Prefeito Municipal Dr. Manoel Alves Valadão, do Bispo Diocesano Dom Othon Motta, Bernadete Pinto Freitas dirigente da APAE de São Lourenço e orientadora técnica da AMAE, e varias outras autoridades e ainda elegeu a primeira diretoria assim constituída:

Presidente – Maria Célia Pereira Coelho ( Irmã Vera Maria do Sion)

Vice-presidente – Arminda Ferreira Lopes de Mello

1º Tesoureiro – Jose augusto de Melo Ferreira Lopes

  Tesoureiro – Luiz Onteiro

1º Secretário – Eny siqueira dos Reis

2º Secretário – Maria Antonia Valadão Pires

Conselho Fiscal – Celso Augusto Fonseca, Dr. Vivaldi José de Mello e Geraldo da Silva Ramos. 

            A diretoria empossada nomeou o Conselho Fiscal como comissão constituída, com objetivo de elaborar o estatuto para reger as atividades da nova instituição. E em 03 de dezembro de 1968, o primeiro estatuto da AMAE, foi aprovado em reunião da Diretoria, e posteriormente publicado no Diário Oficial de Minas Gerais e registrado no Cartório local.

            As maiores dificuldades em manter a instituição, sem sombra de duvida era de ordem financeira, pois necessitavam de funcionários (terapista termo usado á época), e que na maioria das vezes a diretoria necessitava contribuir com recursos próprios para pagamento dos funcionários.

            Aos vinte e um dias do mês de janeiro de 1969, o Cassarão onde funcionava a AMAE, foi solicitado pela família concedente, pois teria outro destino, começa ai uma nova empreitada em encontrar espaço adequado para o funcionamento da AMAE, pois o conjunto de equipamentos já era significativo, e os alugueis de casa maiores eram muito caros para que a instituição arcasse com mais esta despesa. A presidente da instituição  Maria Célia Pereira Coelho, religiosamente chamada por Irmã Vera Maria do Sion, se comprometeu em verificar com sua superiora na Congregação do Colégio Sion para a cessão de salas para a instituição.

            A Congregação do Colégio Sion, disponibilizou quatro salas, gratuitamente, para o funcionamento da AMAE, apenas com uma condição, de quando o Colégio Sion fosse vendido à instituição teria que desocupar as salas. As salas foram então adaptadas, para receber os equipamentos e os alunos, e posteriormente com o aumento de alunos outras salas foram disponibilizadas. Dessa forma a AMAE da Campanha, realizou suas atividades em uma ala do Colégio Sion de 1969 até 31 de Julho de 2003, quando se transferiu para sua sede própria no Bairro Xororó.

            Por mais de três décadas as diretorias da instituição lutaram para que a mesma possuísse sua sede própria, pois durante todo esse período a AMAE da Campanha, desenvolveram-se em atendimento especializadas às mais diversas habilidades, o que foi apontado por muitos como modelo no Sul de Minas. Mas a Diretoria com mandato 2000/2004, tendo como presidente Wilson de Cássio Couto, pai de um aluno da instituição, que sabendo de um prédio escolar no Bairro Xororó, que estava com a construção paralisada que seria destinado a nucleação da escolas rurais do Município, e contando com o apoio do Prefeito Municipal  José Maria Prock e com a Secretária de Educação Professora Dalva Maria Ferreira Cunha, a instituição assinou um termo de comodato por vinte anos, para utilizar o citado prédio, a diretoria com ajuda dos órgãos municipais e a comunidade local, conseguiu adaptar o prédio para atendimento dos cento e quatro alunos da instituição, e em 31 de agosto de 2003, foi inaugurada a nova sede com a presença do Prefeito Municipal José Arnaldo Villamarim, Presidente da Câmara Municipal Romeu Andrade Mendes Filho, Padre Rogério pároco da Paróquia de Santo Antonio, outras autoridades e população em Geral.

Mas em 09 de dezembro de 2004, a Câmara Municipal da Campanha, aprovou e o Prefeito Municipal Luiz Geraldo Maia Serrano sancionou a Lei nº 2.447, que doou definitivamente o prédio, anteriormente cedido em comodato, para a instituição.               

                                                                                                                  Escrito por: Wilson de Cássio Couto